NOTA OFICIAL (INDISCIPLINA DE TORCEDORES)

quarta-feira, 14/dezembro/2016
NOTA OFICIAL (INDISCIPLINA DE TORCEDORES)

A Diretoria da Liga Regional de Futebol de Salão, considerando os fatos ocorridos no Jogo  nº 6189, entre Futsal Kids/Colégio Aliança x Futsal Guairacá (Sub 09 – dia 12/12 – 1ª partida da decisão, e da necessidade de que estes fatos não voltem a ocorrer publicou uma Nota Oficial, com o seguinte teor:

NOTA OFICIAL

Referente: Fatos ocorridos no jogo nº 6189, entre Futsal Kids/Colégio Aliança x Futsal Guairacá (Sub 09 – dia 12/12 – 1ª partida da decisão)

                        A Diretoria da Liga Regional de Futebol de Salão, considerando os fatos ocorridos no Jogo  nº 6189, entre Futsal Kids/Colégio Aliança x Futsal Guairacá (Sub 09 – dia 12/12 – 1ª partida da decisão:

COMUNICA:

  1. A decisão tomada pela diretoria da entidade e dirigentes de equipes no Arbitral Técnico realizado no dia 30/09/2016 foi no sentido de que “as torcidas presentes no local dos jogos poderiam continuar a se manifestar livremente, torcendo e incentivando seus atletas”;
  2. Também fazem parte de uma competição esportiva as provocações de uma torcida para com a outra, desde que feita dentro da normalidade e que não atrapalhem o desenvolvimento da partida e, consequentemente, das crianças e jovens que estão atuando e a equipe de arbitragem;
  3. A entidade não quer privar nenhum torcedor de se manifestar no local do jogo, mas que esta manifestação não seja a causa de atrapalhar o bom andamento do espetáculo e prejudicar o principal motivo da existência das categorias menores, que é o de proporcionar a criança um momento de lazer e diversão;
  4. A vitória e o título são importantes, mas não mais importantes que a formação física e psicológica das “CRIANÇAS/ATLETAS”
  5. Esta decisão foi tomada pela entidade e pelos diretores das equipes, em virtude de fatos ocorridos no passado, e visa que não se repitam, para o bem de nosso futsal e, principalmente, das crianças e jovens que praticam a modalidade;
  6. A avaliação da situação durante o jogo é exclusiva da equipe de arbitragem, representante da entidade e treinadores das equipes, não cabendo ao torcedor exigir que alguma medida seja tomada;
  7. O interesse da entidade e também deve ser dos treinadores, torcedores, pais e familiares é o de colaborar para a educação das “CRIANÇAS/ATLETAS”, no seu desenvolvimento físico e emocional. Atos como esse somente vem deixar as crianças constrangidas no meio de “BRIGAS E DISCUSSÕES ENTRE ADULTOS”, que deveriam ser os exemplos e “espelhos” para elas.

A entidade preocupada com os fatos acontecidos e para que não voltem a ocorrer ou que pelo menos os infratores sejam identificados e/ou punidos, RESOLVE:

  1. Caso no início de cada rodada das decisões do “28º Abertão Regional de Futsal 2016”, não houver a presença de policiais militares, deverá o representante da entidade entrar em contato com o 16º Batalhão da Polícia Militar, e solicitar o policiamento, conforme já solicitado no Ofício nº 23/2016, encaminhado em 08/12/2016;
  2. Caso o policiamento não se fizer presente e, entendendo a equipe de arbitragem e o representante da partida, que há condições de iniciar o jogo, deverá (ão) fazê-lo (s);
  3. Em caso de atos desagradáveis causados por torcedores, que venham a constranger atletas e/ou equipe de arbitragem ou que venham a atrapalhar o bom andamento da partida, a mesma deverá ser paralisada e solicitar-se ao técnico da equipe para a qual aquele torcedor pertence, conforme regulamento, que o mesmo colabore no sentido de que se resolva o problema;
  4. Caso isto não ocorra, no período de 03 (três) minutos, imediatamente deve-se contactar o 16º B.P.M. da polícia militar e solicitar  a sua presença para a continuidade da partida;
  5. Ficará a critério da equipe de arbitragem e representante da entidade, analisarem as condições de segurança e darem continuidade ou não da partida, com ou sem a presença de policiais militares;
  6. Em todas as paralizações que eventualmente venham a ocorrer, devem-se os Oficiais de Arbitragem e representante da entidade, relatarem o ocorrido, identificando, se possível os infratores, a qual equipe pertence, quais os atos praticados e desdobramentos causados;
  7. Em caso de paralização ou não término do jogo a entidade encaminhará os relatórios, súmulas e demais anotações, para o Tribunal de Justiça Desportiva da Liga Regional de Futebol de Salão de Guarapuava, que julgará o caso na primeira reunião do TJD no exercício de 2017.
  8. Independentemente da decisão do TJD da entidade, a diretoria deverá aplicar as penalidades previstas nos casos de indisciplinas, constantes no regulamento da competição (Artigos 43 ao 49).
  9. Não será permitida a entrada de torcedores e/ou familiares, dentro da quadra de jogo, quando da entrega da premiação as equipes e aos atletas.

                                                                                ORIGINAL ASSINADO

Guarapuava, 14/12/2016.                                     Liga de Futsal de Guarapuava

 

 



Rua Rio de Janeiro, s/n - Anexo ao Ginásio de Esportes Santa Terezinha | Guarapuava, PR
CFW Agência de Internet