Carta de um menino que desistiu do futebol por causa do pai

quarta-feira, 14/dezembro/2016
Carta de um menino que desistiu do futebol por causa do pai

Carta de um menino que desistiu do futebol por causa do pai

PAI…desisti do futebol por sua causa

Pai, eu estou escrevendo esta carta porque como sou muito pequeno e as pessoas não ligam para as opiniões das crianças e pode ser que com uma carta eu possa me expressar sem ser criticado. Os adultos não aceitam a opinião das crianças, principalmente quando estão nervosos por causa do jogo.

As pessoas não olham as crianças como pessoas que têm direito de ter opiniões e que elas possam estar com razão naquilo que elas falam.

Quando os adultos não concordam com a gente, mesmo que a gente tenha razão, principalmente quando eles estão nervosos, nós é que sofremos as consequências e não temos como nos defender.  Nestas ocasiões somos obrigados a ficar calados e isto é o pior que pode acontecer para o nosso futuro.

Pode ser que quando você estiver calmo, possa ler esta cartinha e refletir sobre tudo que estou dizendo aqui e não brigar comigo. Eu gosto muito de jogar futebol e eu quero ser um atleta de sucesso. Para isso eu conto principalmente com o seu apoio e ajuda.

Quando conseguimos vencer uma partida eu fico muito feliz, meus colegas e treinadores também, mas o que mas gosto é de ver você feliz.  Porém quando nós perdemos, eu quero que saibas que eu, meus colegas e treinadores, somos aqueles que mais sentem a derrota.

Preciso, nesta hora, do seu apoio e incentivo, mas nem sempre é assim, você reclama, grita, briga comigo, briga com a torcida adversária, reclama dos meus companheiros, treinadores e arbitragem.

Pai, isso me deixa ainda mais arrasado porque você é a pessoa mais importante na minha vida e não quero vê-lo triste por minha causa, e culpar meus companheiros, torcida adversária, árbitros e treinador só pioram as coisas pra mim.

Vencer ou perder é consequência de uma série de fatores algumas vezes alheios à nossa vontade.

Eu preciso de sua ajuda para poder aceitar a derrota com dignidade e encontrar forças e confiança para poder vencer a próxima partida.

Pai, quando você fica do lado de fora tentando me dar instruções durante a partida, na realidade você esta me prejudicando mais do que ajuda, pois eu preciso ajudar os meus companheiros no esquema tático que foi combinado no vestiário e não consigo prestar atenção, ao mesmo tempo, no jogo, no meu treinador e em você.

Quando você xinga o árbitro ou responde a torcida adversária, eu fico muito nervoso e não consigo jogar direito.

Pai, quando um companheiro meu fizer alguma coisa errada, não brigue com ele, porque eu também posso fazer a mesma coisa, pois estamos todos aprendendo, e você não gostaria que o pai dele me criticasse não é!

Pai, eu te amo muito, me ajuda a ser um bom atleta atendendo aos poucos os simples pedidos que aqui eu faço a você, pois prefiro desistir do futebol a ver você envolvido em brigas e discussões com outras pessoas.

Quero que você tenha orgulho de mim, tanto na vitória quanto na derrota, pois nós tentamos fazer a nossa parte com dedicação.

Peço que você atenda este meu pedido nesta competição que é importante pra mim e meus companheiros. Com amor, seu filho….

P.S. O pai deste menino não atendeu seu pedido e ele desistiu do futebol.

 



Rua Rio de Janeiro, s/n - Anexo ao Ginásio de Esportes Santa Terezinha | Guarapuava, PR
CFW Agência de Internet