Copa 40 anos da LRFSG – fórmula de disputa/regulamento

LOGO PARA SITE

REGULAMENTO – imprima e/ou leia aqui

CIRCULAR Nº 03 – FORMULA DE DISPUTA – COPA 40 ANOS – imprima ou leia aqui

“COPA 40 ANOS DA LRFSG – 2015”

REGULAMENTO OFICIAL

Capítulo I – Dos Promotores e participantes

Art. 1º – A “COPA 40 ANOS DA LRFSG” –2015, tem como promotores a Liga de Futsal de Guarapuava e Liga Desportiva Guarapuavana com apoio da Prefeitura Municipal de Guarapuava (Secretaria de Esportes e Recreação de Guarapuava);

Art. 2º – A LFSG será a responsável técnica do evento, através da sua Diretoria Técnica, Administrativa, Arbitragem e Disciplinar, devendo todas as situações envolvendo o evento serão resolvidos perante a entidade;

Art. 3º – O evento tem caráter extra oficial podendo participar: a) equipes filiadas a entidade; b) outras de Guarapuava e região as quais participarão do evento no caráter de convidadas, não necessitando possuir personalidade jurídica para a prática do futsal (empresas, escolas, clubes, bairros, municípios, etc…), o que implicará que todos os atos, recursos, etc… ficam limitados aos poderes da Liga de Futsal de Guarapuava (presidência, diretores e departamentos, inclusive a Comissão´deètica da entidade)

Capítulo II – Das Inscrições

Art. 4º – A equipe que efetivar a sua inscrição estará aceitando em sua totalidade o regulamento do evento;

Art. 5º – Requisitos para inscrição da equipe:

  • § Entrega da ficha de inscrição preenchida e assinada;
  • § Entrega do formulário de relação de atletas preenchida e assinada;
  • § Autorização por escrito da empresa, associação, escola, etc…, para utilizar o nome no evento;
  • § Quitação da taxa de participação
  • § Não estar em débito com a LFSG

Capítulo III – Dos Atletas

Art. 6º – Somente poderão participar da partida os, que constem na relação de inscrição de atletas entregues na LRFSG e na súmula de jogo.

Art. 7º-Será obrigatória a identificação dos atletas nos jogos de sua equipe ao anotador de serviço, mediante a apresentação da carteira de atleta emitida pela LFSG, Carteira de Identidade ou algum outro documento com fé público (com foto);

Par. 1º – O pessoal da Comissão Técnica deverá apresentar ao anotador, antes do início de cada partida a carteira de identidade original ou documento com fé pública

Par. 2º – A não apresentação do documento implicará em impossibilidade do atleta e/ou pessoal técnico participar da partida. Caso atue sem documentação a equipe será multada em R$ 20,00 (vinte reais) por atleta o anotador da partida suspenso de acordo com o Caderno Disciplinar da LFSG.

Art. 8º – A equipe poderá inscrever somente 01 (um) atleta que tenha disputado algum jogo (jogado) nas Taças Ouro ou Prata da temporada 2014, promovido pela F.P.F.S

Par. 1ºAs provas da infração devem serem apresentadas pela equipe que impetrou o recurso, dentro do prazo legal determinado para o recurso (Art. 43).

Par. 2º – Para caracterizar a participação na “Copa 40 anos da LRFSG” o atleta terá que jogar, atuar, entrar em quadra;

Art. 9º – Os atletas poderão serem inscritos até  o final das oitavas de final da competião

Art. 10 – O Atleta terá que obrigatoriamente participar (jogar – entrar em quadra)em alguma partida da equipe, até a fase de oitavas de final, para poder atuar na seguintes, valendo como comprovante a súmula dos jogos. Para comprovar a participação o atleta deverá ter sido incluído no jogo e constar no campo de substituições na súmula de jogo;

Art. 11 – O atleta inscrito poderá ser substituído até a fase de quartas de final,mesmo que tenha atuado com as seguintes condições:

a)A equipe solicite através de ofício com assinatura do Diretor e Atleta substituído;

b)Efetue o pagamento da taxa de R$ 50,00 (cinquenta reais) por atleta substituído;

c)Efetue no máximo a substituição de 02 (dois) atletas;

Art. 12 – O Atleta que assinar a ficha deinscrição para 02 (duas) ou mais equipes , ficará impedido de participar, salvo se houver a liberação por parte de uma das equipes , através de ofício protocolado na LFSG;

Art. 13 – O registro de atleta terá que ser feito com 48 (quarenta e oito) horas de antecedência a realização do jogo de sua equipes, durante o horário de expediente externo da LFSG (14:00 às 18:00 horas), ou em outro horário, caso a Liga esteja funcionando em caráter excepcional;

Capítulo IV – Da Equipe e dos Jogos

Art. 14–Os uniformes das equipes deverão estar em conformidade com as Regras Oficiais do Futsal para o ano de 2015, não sendoobrigatório o uso de Camisas e calções com número na frente

Par. ùnico – o uso de caneleiras é optativoporem recomendável para melhor proteção do atleta

Art. 15 – As equipes terão como responsabilidade:

a) Apresentar-se devidamente uniformizadas (calções iguais, meias iguais e camisas iguais e numeradas, camisas com número nas costas e na frente)

b) Apresentar uma bola em condições de jogo antes do início de cada partida

c)Utilizarem coletes nos atletas reservas, de coloração diferente do uniforme de ambas as equipes na quadra de jogo;

d) Pagamento da taxa de arbitragem antes do início da partida

e) Entregar ao anotador escalado a relação de atletas que irão atuar (com nome completo e número da camisa) e documentação dos atletas e comissão técnica, até 15 (quinze) minutos antes do horário marcado para início de sua partida.  Caso não seja feita a entrega a equipe será multada em R$ 15,00 (quinze reais) e o anotador suspenso por quinze (15) dias.

Par. 1º – A equipe que não apresentar uma bola em condições de jogo, terá que pagar uma multa no valor de R$ 15,00(quinze reais) , a ser pago antes do início do jogo ao anotador;

Par. 2º – No caso de não pagamento da taxa de arbitragem, poderá o Oficial de Arbitragem não realizar a partida, e a equipe será considerada perdedora por W x 0  e punida de acordo com o regulamento;

Par. 3º – No caso de não pagamento da taxa de arbitragem, a equipe deverá quita-la na secretária da LFSG no prazo de 24 (vinte e quatro)horas úteis, acrescida de multa no valor de 100% (cem por cento)

Par. 4º – O não pagamento no prazo implicará na suspensão da equipe e dos atletas por 180 (cento e oitenta) dias;

Par. 5º – Caso de irregularidade no uniforme, a equipe será multada em R$ 30,00 (trinta reais) e a equipe de Arbitragem será punida;

Art. 16 – Haverá tolerância de 15 (quinze) minutosapenas para a 1ª partida do período;

Par. 1º – Em caso de W x 0 (não comparecimento) a partida seguinte terá uma tolerância de 15 (quinze) minutos, após o horário determinado na tabela;

Par. 2º – Se a equipe ao final da tolerância possuir no mínimo 03 (três) atletas no vestiário, deverá o Árbitro Principal acrescentar mais 10 (dez) minutos de tolerância, comunicando diretamente aos atletas de ambas as equipes o inicio da tolerância;

Art. 17 – Em caso de coincidência nas cores das camisas será feito sorteio, com a equipe perdedora tendo um prazo máximo de 15 (quinze) minutos para providenciar a troca de uniformeArt. 18 – Em caso de irregularidade no preenchimento da súmula, a equipe terá um prazo de 24 (vinte e quatro) horas úteis, para solicitar a LFSG a correção, sendo que após este prazo a correção não poderá mais ser feita, sendo a súmula do jogo homologada como correta, não podendo mais se discutir o seu teor;

Par. Único – ao final da partida a cópia da súmula estará disponível para o diretor da equipe que deverá pegá-la junto ao anotador da partida. O diretor é o responsável para se dirigir até o anotador e retirar a cópia da súmula. 

Art. 19 – Após divulgada a tabela de jogos, as equipes poderão solicitar a transferência do jogo se os seguintes requisitos foram preenchidos: a) as equipes protocolem a solicitação na Secretaria da entidade, assinada por ambos os diretores, com “72” horas de antecedência à realização do jogo e pagamento de taxa no valor de R$ 50,00 (cinquenta reais); b) No ofício deverá ser comunicado o motivo da solicitação, anexando-se todos os documentos comprobatórios da alegação; c) Após a análise do pedido, a Liga poderá ou não autorizar a transferência, oferecendo a resposta no prazo de de vinte e quatro horas.

Par. 1º – Caso não haja concordância entre ambas as equipes, e mesmo assim a Liga entenda que o jogo poderá ser transferido sem prejuízo para o campeonato e para nenhuma equipe participante do evento e em casos de mais de dois atletas da equipe disputando algum evento representando o município em Jogos, a Liga poderá transferir o jogo, conforme artigo anterior (art. 23);

Par. 2º – O mando de jogo é da LFSG podendo a mesma a seu critério, mesmo sem concordância da (s) equipe (s) poderá, no interesse maior do Futsal e da competição, transferir, mudar de locais, desdobrar, alterar ou aumentar as rodadas ou jogos já marcados.

Art. 20 – Fica vedado às equipes, atletas, dirigentes e torcedores, portar no ginásio qualquer tipo de instrumento de sopro e/ou percussão, bem como qualquer tipo de buzina e sinalizadores.

Capítulo V – Da Arbitragem

Art. 21 – Os oficiais de arbitragem serão escalados pelo Departamento de Arbitragem da LFSG, não sendo aceito pedido de veto para nenhum dos oficiais de arbitragem;

Art. 22 – Qualquer reclamação ou sugestão quanto a arbitragem terá que ser feito através de ofício encaminhado ao Departamento de Arbitragem daLFSG;

Art. 23 – Todos os oficiais de arbitragem estarão sujeitos as penalidades do Novo Código Brasileiro de Justiça e Disciplina Desportiva e ao Regimento Interno da LFSG;

Art. 24 – Nenhum jogo deixará de ser realizado pelo não comparecimento de algum árbitro ou da equipe de arbitragem. Compete ao representante do jogo ou na falta deste, ao anotador e/ou árbitro principal, providenciar os substitutos, em comum acordo com as equipes ou sorteio, elaborando documento escrito desta decisão, que deverá acompanhar a súmula do jogo.

Art. 25 – A partida poderá ser interrompida, suspensa ou até mesmo encerrada, pelos motivos abaixo: a) Falta de garantia; b) Condições inadequadas das instalações, que torne a partida impraticável ou perigosa; c) Falta de iluminação ou inadequada; d) Conflitos ou distúrbios graves no ginásio;

Par. Único – Ficará a cargo da diretoria da LFSG e/ou a sua Comissão de Ética a decisão sobre a situação da partida.

Capítulo VI – Fórmula de disputa e critérios de desempate

Art. 26 – Para efeitos de classificação quando a classificação for por “grupos”, os critérios de desempate entre as equipes, serão os seguintes, pela ordem:

1º – Maior número de pontos ganhos na fase;

2º – Equipe que não tenha levado WO (não compareceu para jogar), valendo para isto todo o campeonato;

3º – Confronto direto somente quando houver duas (02)equipes empatadas na fase;

– Vitórias na fase;

5º- Gol average das equipes empatadas considerando todos os resultados obtidos na fase (número de gols marcados divididos pelo número de gols sofridos) das equipes empatadas, considerando todos os resultados obtidos na fase, ficando classificada a equipe que obtiver maior quociente);

6º – Gols sofridos na fase;

7º – Gols marcados na fase;

8º – Maior saldo de gols (diferença entre os gols feitos e gols sofridos);

– Menor número de cartões vermelhos;

10º – Menor número de cartões amarelos;

11º – Sorteio.

§ 1º. Quando três ou mais equipes terminarem empatadas na soma de pontos ganhos na fase, na primeira ou demais colocações, observar-se-ão, sucessivamente e na ordem eliminatória os critérios constantes do “caput” deste Art.,de números  4, 5, 6, 7, 8, 9 e 10,apurando-se, por item, as equipes classificadas, sem prejuízo de descartar-se, na aplicação de cada critério, a (a) equipe (s) menos aquinhoada (s).

§ 2º. Na hipótese da aplicação do critério de gol average, dividir-se-á o número de gols positivos pelos negativos considerando-se classificada a equipe que obtiver maior quociente e, quando uma equipe não sofrer gol é ela a classificada, pois o zero é infinito o que impossibilita a divisão, assegurando à equipe sem gols sofridos aclassificação pelo sistema de gols average.

Par. 1º -Os números para desempate serão válidos somente em cada Fase de classificação, distintamente, exceção ao item “2º” que valerá todas as fases.

Capítulo VII- Desistência e WO (West’O’Clock)

Art. 27 – A equipe que não comparecer para jogar, comparecer com número insuficiente de atletas, comparecer fora do horário ou sem o uniforme para os atletas, seráeliminada do evento e suspensão de 360 (Trezentos e sessenta) dias de qualquer atividade da LFSG, dos atletas, diretores, comissão técnica e equipe e multa no valor de 01 salário mínimo.

Par.  Único     – O atleta e/ou treinador presente no momento do WO não será suspenso, caso faça constar seu nome na súmula e efetue o pagamento da taxa de arbitragem.

Art. 28 – O WO valerá como placar de 02×00, com gols assinalados para o goleiro da equipe.

Capítulo VIII – Dos atos de indisciplinas

Art. 29 – Sujeitar-se-á ao cumprimento da suspensão automática, com a conseqüente impossibilidade de participar da partida seguinte, oatleta, técnico ou treinador, massagista ou preparador físico que na mesma competição receber:

a)                    01 (um) cartão da cor vermelha (expulsão)

b)                   02 (dois) cartões da cor amarela (advertência)

Par. 1º – A aplicação da suspensão automática independe de julgamento no âmbito da Comissão de Ética da LFSG, não sendo aceito qualquer tipo de recurso.

Par. 2º – Os membros da Comissão Técnica estarão sujeitos ao cumprimento da suspensão automática, com a consequente impossibilidade de participar das duas (02) partidas seguintes de sua equipe, na categoria em que foi penalizado, quando forem considerados expulsos pelo árbitro da partida e relatado na súmula de jogo;

Par. 3º – Os atletas, técnico, preparador físico, massagista, auxiliar, que tenhamsido expulsos da partida ou que estejam cumprindo penalidade disciplinar de suspensão, quando presentes no local dos jogos, deverão se posicionar, obrigatoriamente,  no lado oposto do  local onde se encontra o banco de reservas de sua equipe na quadra de jogo, não lhe sendo permitido qualquer tipo de manifestação. Sendo inacessível par ao público o lado oposto da quadra de jogo, deverão os mesmos se posicionar no lado onde se encontra o banco de reservas da equipe adversária, não lhe sendo permitido qualquer tipo de manifestação;

Art. 30 – A contagem dos cartões amarelo e vermelho é feita dentro da mesma competição, seja ela dividida em fase ou não, daí porque os cartões recebidos nas diversas fases serão agregados aquelas que por ventura vierem a acontecer. 

Art. 31A quantificação de cartões recebidos independentemente de comunicação da LFSG, será de inteira responsabilidade exclusiva das equipes o seu controle e cumprimento.

Art. 32 – A contagem de cartões para fins de aplicação da suspensão automática, é feita separadamente e por tipologia de cartões, não havendo possibilidades de o cartão vermelho “apagar” o amarelo já recebido, na mesma ou em outra partida do campeonato.

Par. Único – Se o atleta, em determinado momento do campeonato, simultaneamente acumular dois cartões amarelos e mais um vermelho cumprirá automaticamente, a suspensão por duas partidas.

Art. 33 – A inclusão de atleta ou pessoal técnico, automática suspenso por apenação de cartões implicará na perda de 06 (seis) pontos para a equipe infratora, e multa no valor de R$ 200,00 (deuzentosreais), se no momento da irregularidade o campeonato estiver em fase de grupos. Se estiver no sistema de cruzamento olímpico (melhor de duas partidas) a equipe estará eliminada do evento..

Par. Único – Em caso do atleta acumular outra função(técnico, massagista ou prep. Físico) durante o jogo, o cartão recebido valerá para a função que o mesmo exercia no momento em que recebeu o cartão. 

Art. 34 – No caso de expulsão (cartão vermelho), por motivos considerados “graves” o infrator será julgado pela Comissão de Ética da LFSG e/ou punido administrativamente, levando-se em consideração o Caderno Disciplinar da LFSG, caso contrário cumprirá somente a partida automática de suspensão.

Par. 1º – A decisão da Comissão de Ética será definitiva não cabendo recurso algum sobre esta decisão. As normas de funcionamento da Comissão de Ética serão publicadas através de Ato da Presidência antes do início do campeonato e publicada no site da entidade.

Par. 2º – A suspensão administrativa, visando o bom andamento do evento, será de no máximo 90 (noventa) dias. Esta suspensão deverá ser descontada do total da pena aplicada pela Comissão de ética no julgamento posterior;

Par. 3º – As infrações são válidas enquanto o atleta, pessoal técnico ou dirigente estiver dentro da quadra, na arquibancada, antes, durante ou após a partida.

Par. 4º – Será levado em consideração para as punições, o relatório do árbitro, do anotador e do delegado da LFSG, bem como a defesa escrita ou oral do infrator.

Par. 5º – O oficial de arbitragem que cometer infração pela Comissão de Ética da LFSG e/ou punido administrativamente, utilizando-se o Caderno DisciplinarRegimento Interno da LFSG.

Art. 35– No caso de expulsão de pessoal técnico a equipe será multada em R$ 30,00 (trinta reais) e a suspensão automática será de 02 (dois) jogos.

 

Art. 36 – A equipe que se recusar a dar continuidade à partida por mais de 05 (cinco) minutos depois de advertida pelo árbitro principal, ainda que permaneça na quadra, perderá os pontos em disputa, sendo considerada “vencida” ( placar de 01 x 00), cabendo a multa no valor de R$ 200,00 (duzentos reais) + o pagamento da taxa de arbitragem, no prazo de 48 (quarenta e oito horas)

Par. Único – O não pagamento no prazo estipulado implicará em suspensão para a equipe, diretores e atletas pelo período de um ano, de qualquer atividade da LFSG, e pagamento de multa no valor de um salário mínimo.

Art. 37 – Qualquer diretor ou torcedor, mesmo que não seja da área de futsal, sendo identificado pelas autoridades da entidade presentes no local de jogos, poderá prejudicar sua equipe no tocante ao comportamento disciplinar, já que o diretor responsável, ou seu presidente das mesmas é que respondem por esta indisciplina;

Art. 38 – A falta de disciplina e de ordem no ginásio durante uma partida, invasões de quadra, mesmo em caso de tumultos entre atletas e pessoal técnico, não serão toleradas sob hipótese alguma, cabendo a LFGS a aplicação de sanções administrativas necessárias contra os responsáveis através de Ato da Presidência e/ou do TJD;

Par. 1º – O treinador e/ou diretor da equipe presente serão responsáveis pelo comportamento de seus atletas, diretores, comissão técnica e torcedores;

Par. 2º – Em caso de invasão de quadra por parte de torcedores ou diretores de sua equipe (devidamente identificados pela equipe de arbitragem e/ou representante da partida), independentemente da punição administrativa ou do TJD da LFSG a equipe será multada em R$ 200,00 (duzentos reais);

Art. 39 – A LFGS se houver necessidade, independente da fase, fará a escala de um representante da entidade, o qual receberá uma taxa no valor de R$ 40,00 (quarenta reais)/jogo), valor que será arcado pelas duas equipes, que quitaram a taxa de R$ 20,00 (vinte reais) para cada equipe, juntamente com a taxa de arbitragem;

Par. 1º – Nas demais fases a Liga a seu critério poderá escalar o representante, com as equipes arcando com a despesa acima citada;

Par. 2º – O comunicado dos jogos em que serão enviados representantes serão feitos no ato da divulgação da tabela, onde estarão assinalados os jogos ou comunicada a equipe (via fone ou email) com 48 (quarenta e oito) horas de antecedência à realização do jogo;

Art. 40 – Não será permitido o uso pelos membros da comissão técnica de camisetas sem mangas, sandálias ou chinelos, como também o uso de qualquer tipo de aparelho de comunicação, podendo usarem bermuda, short ou agasalho. 

Capítulo IX – Atleta irregular

Art. 41 – A LFSG poderá a qualquer momento, rever e cancelar o registro o atleta se comprovado a irregularidade.

Art. 42 – A LFSG não se responsabiliza pelas infrações que constam na ficha de inscrição e documentação de atletas.

Capítulo X – Dos Recursos, protestos e disposições gerais

Art. 43 – Os recursos e protestos devem ser apresentados através de ofício, até 48 (quarenta e oito) horas úteis após o encerramento da partida, acompanhado de:

a)    taxa de recurso no valor de R$ 300,00 (trezentos reais), com todas as provas da irregularidade, sobre o qual a LFSG se manifestará;

b)    Todas as provas da irregularidade, as quais serão analisadas pela LFSG;

c)    Certidão negativa de débito da LFSG

Par. 1º – O não preenchimento de algum item acima implicará em não conhecimento do recurso. 

Art. 44–Fica terminantemente proibida a veiculação no uniforme da equipe de propaganda de cunho político partidário, bebida alcoólica, cigarro e ofensiva. 

Art. 45 – A equipe que infringir os artigos6º, 8º, 9º, 10, 29 e 33,  ou utilizar algum atleta irregular:

a) se no momento da irregularidade o campeonato estiver em fase de grupos : perderá 06 (seis) pontos na tabela de classificação,. As ocorrências do jogo permanecem inalteradas, e a equipe será multada em R$ 200,00 (duzentos reais).

b) Se estiver no sistema de cruzamento olímpico (melhor de duas partidas): a equipe estará eliminada do evento, sendo os resultados da fase anulados, permanecendo as demais ocorrências do jogo inalteradas. Multa no valor de R$ 250,00 (duzentos e cinquenta reais).

 Art. 46 – Todos os assuntos relacionados ao evento devem ser tratados na LFSG no horário de expediente (14:00 às 18:00 horas – segunda a sexta feira) ou em outro horário caso a entidade esteja funcionando excepcionalmente;

Art. 47 – A equipe que estiver com débito na entidade:

a)    Não poderá atuar, não sendo marcado o jogo e, caso marcado, a partida não será realizada sem a quitação do débito.

b)     Caso o jogo seja realizado a equipe será considerada perdedora de 06 (seis) pontos na tabela de classificação e punida de acordo com o Art. 49 do regulamento e multada em R$ 150,00 e o débito anterior acrescido de 10%.

Art. 48 – Para todo e qualquer efeito no evento, será considerado como nome Oficial da equipe o primeiro nome preenchido na ficha de inscrição, considerando-se o (s) posterior (es) como patrocinador (es). Somente serão aceitas trocas de nomes ou de patrocinadores com ofício timbrado do substituído e do substituto, sendo que o nome fantasia da equipe não poderá exceder a 25 caracteres.

Art. 49 – Os órgãos promotores do evento não se responsabilizarão por acidentes, antes, durante ou depois das partidas, sendo de responsabilidade exclusiva do diretor responsável pela equipe.

Par. Único – A condição dos participantes, bem como a responsabilidade sobre a participação dos atletas menores de idade, de acordo com legislação vigente no País, ficará sobre a responsabilidade das equipes participantes (dirigentes, técnicos, auxiliares, etc…) 

Art. 50 – Serão divulgados boletins informativos, boletins oficiais, estatísticas, boletins do TJD, Atos da Presidência, que serão fixados em edital e divulgado no site oficial da entidade: www.futsalguarapuava.com.br, sendo de exclusiva responsabilidade do diretor da equipe a sua leitura.

Art. 51 – As equipes participantes do evento, aceitam incondicionalmente este Regulamento, bem como as atualizações e ajustamento das Regras de jogo como prévia e imperiosa condição para inscrição e participação, no mesmo, e o presente Regulamento estará a disposição de todos os participantes no site oficial da Entidade, através do endereço eletrônico: www.futsalguarapuava.com.br;

Art. 52 – O presente regulamento poderá ser complementado a qualquer momento pela LFSG e os casos omissos ao presente regulamento serão analisados, editados e decididos pela Diretoria da LFSG. Através de Circulares, Atos da Presidência ou Boletins Oficiais.

Guarapuava, 15/01/2015.                  Sérgio Firman – Presidente da LFSG

Rua Rio de Janeiro, s/n - Anexo ao Ginásio de Esportes Santa Terezinha | Guarapuava, PR
CFW Agência de Internet